quinta-feira, 7 de maio de 2009

Marés

Estes tempos idos,
Que não vieram de lado nenhum,
Nem de vontade nenhuma.

São tempos que um dia passaram por nós,
A quem nós demos a mão por instantes,
Sem qualquer compromisso.

Não temos compromissos com o tempo.

Aceitamo-lo como algo sem peso,
Sem preço,
Com algo materialmente intangível,
Que escorre pelas frestas das nossas imprecepções da realidade.

Ahh, o tempo que passa, e passa sempre...
Farto-me facilmente da contemplação temporal